Um Político Assume-se

Um Pol tico Assume se Uma vida de milit ncia desinteressada com uma linha de orienta o coerente embora com ajustes ruturas e adapta es s realidades mut veis da Europa e do Mundo Vivi e acompanhei intensamente quase todo

Uma vida de milit ncia desinteressada, com uma linha de orienta o coerente, embora com ajustes, ruturas e adapta es s realidades mut veis da Europa e do Mundo Vivi e acompanhei intensamente quase todo o contradit rio e complexo s culo XX e este come o incerto e t o problem tico do atual uma reflex o sobre esse longo e conturbado caminho, com altos e baixos, acertosUma vida de milit ncia desinteressada, com uma linha de orienta o coerente, embora com ajustes, ruturas e adapta es s realidades mut veis da Europa e do Mundo Vivi e acompanhei intensamente quase todo o contradit rio e complexo s culo XX e este come o incerto e t o problem tico do atual uma reflex o sobre esse longo e conturbado caminho, com altos e baixos, acertos e desacertos, vit rias e derrotas, ao servi o do Povo Portugu s, a que me honro pertencer, que vos ofere o neste livro uma esp cie de autobiografia pol tica e ideol gica, orientada por valores humanistas e princ pios ticos e pol ticos, que nunca abandonei Do Pref cio

  • [PDF] Um Político Assume-se | by ¸ Mário Soares
    431 Mário Soares
Um Político Assume-se

About Author

  1. M RIO ALBERTO NOBRE LOPES SOARES nasceu a 7 de Dezembro de 1924 A 22 de Fevereiro de 1949 casa com Maria de Jesus Sim es Barroso Apesar da sua carreira profissional se confundir com a pol tica, a partir dos anos 50 administrador e professor do Col gio Moderno Come ando a exercer advocacia em 1957, assumem particular relev ncia as defesas que faz em julgamentos de presos pol ticos em tribunais plen rios Em 1965 oferece os seus pr stimos de advogado fam lia de Humberto Delgado, que acaba por ser assassinado nesse mesmo ano Em 1971 Charg de cours nas Universidades de Vincennes e da Sorbonne e no ano seguinte Professor convidado na Universidade da Alta Bretanha, em Rennes.Pol tico de profiss o e voca o, M rio Soares uma figura incontorn vel da hist ria contempor nea portuguesa Primeiro pela luta antifascista desenvolvida durante a Ditadura, que lhe vale v rias pris es pela Pol cia Internacional e de Defesa do Estado, a deporta o e o ex lio depois pela sua participa o no processo de transi o, enquanto ministro de alguns dos governos provis rios e como l der do Partido Socialista, que fundara, em 1973 finalmente pelo seu desempenho enquanto primeiro ministro dos I 1976 77 , II 1977 78 e IX 1983 85 governos constitucionais.Em 1986, eleito Presidente da Rep blica, sendo o primeiro presidente civil, depois de seis d cadas de presidentes militares reeleito a 13 de Janeiro de 1991 com 70,35% dos votos.Em 1996 nomeado Conselheiro de Estado e assume a Presid ncia da Funda o M rio Soares e da Comiss o Mundial Independente dos Oceanos Presidente da Funda o Portugal frica 1997 Presidente do Movimento Europeu 1997 1999 Presidente do Comit Promotor do Contrato Mundial da gua e Presidente do Comit dos S bios do Conselho da Europa 1997 eleito deputado para o Parlamento Europeu 1999 2004 e Presidente da Comiss o de Honra para as comemora es dos 500 anos da viagem de Pedro lvares Cabral 1999.Em Agosto de 2005 anuncia a sua recandidatura Presid ncia da Rep blica, vindo a ser o terceiro candidato mais votado com 14,31% dos votos nas elei es de Janeiro de 2006.Faleceu a 7 de Janeiro de 2017, em Lisboa.

    Reply

Um Político Assume-se Comment

  1. Um livro importante para compreender um pouco da hist ria recente de Portugal e entender a import ncia de M rio Soares nesses acontecimentos.Gosto da maneira informal que o livro escrito, raz o pela qual n o o consideraria um ensaio pol tico como vem descrito na capa Creio ser mais assertiva a descri o de uma conversa pol tica e bastante informal tornando o livro a meu ver, muito auto biogr fico Sendo f ou n o do homem e do pol tico por de tr s deste livro, um livro que merece ser lido Ao l lo f [...]


  2. Li numa perspectiva hist rica Para conhecer um pouco mais sobre uma figura que marcou os ltimos 50 anos da pol tica portuguesa e os acontecimentos em que esteve envolvido Interessante, de leitura demasiado f cil at 200 e tal p ginas com letra extremamente grande e muito espa ado , e com um travo ideol gico claro.


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *